A investigação apresenta um estudo sobre as possíveis imagens construídas a partir de um nome, como um processo identitário e social do bairro Padre Eustáquio em Belo Horizonte (MG). O trabalho relaciona um possível sistema de imagens, o histórico de reprodução e a construção da memória coletiva sobre o oniônimo Padre Eustáquio. Analisou-se a aparição do nome em três bairros da cidade, sendo os bairros Padre Eustáquio e Carlos Prates, os espaços diretamente envolvidos com o nome, e o bairro Boa Vista, o controle da análise. De forma descritiva, a coleta de dados foi incorporada, em fragmentos, aos critérios metodológicos da psicologia social, codificando recortes, tipos de impressão e memória associada. Em geral, a pesquisa apresenta frequências dos materais impressos e evocados referentes a um nome memorialístico, personalizado e  socialmente construído. Em 2020, o projeto foi selecionado pelo Edital Arte Salva (Fundo Estadual de Cultura de Minas Gerais), promovido pela Secretaria de Estado de Cultura e Turismo do Estado de Minas Gerais e pela Comissão Paritária Estadual de Fomento e Incentivo à Cultura.

 

inspeção, 2019

coleta de impressos
banco de dados e vídeo 

https://www.youtube.com/watch?v=QI0PqGIssYw

IMG_5965.JPG
06.jpg
painel insp 2019.jpg
Animated GIF-source.gif
freq evoc.jpg