Após o incêndio no Museu Nacional do Rio de Janeiro em setembro de 2018, Luzia, o fóssil humano mais antigo encontrado na América do Sul, está em processo de reconstrução. Com datação de carbono-14 aproximada em 11.500 anos, os restos fossilizados desse crânio apresentam diversas teorias e contradições sobre a ciência construída de sua origem. O espécime foi descoberto na década de 1970 em escavações na região de Lagoa Santa (MG). No envolvimento com os possíveis acontecimentos, o trabalho propõe inventariar informações que circundam Luzia, com intuito de reconstruir uma documentação pública sobre o fóssil Lapa Vermelha IV Hominídeo 1. O inventário contém informações paleontológicas, históricas e de preservação a fim de reconstruir Luzia após incêndio. Crônica é um substantivo feminino polissêmico que nomeia esse trabalho, por enfatizar a compilação de fatos históricos apresentados com modificações de seu próprio tempo e, fonologicamente, aproxima-se à palavra crânio.

 

crônica, 2017- em processo 
resumo, banner e pasta catálogo de 50 páginas

 

IMG_1132_edited.jpg